Os testes aplicados aos EPIs na Conforto, parte II - Conforto - Nosso mundo é seu bem-estar
Blog

Os testes aplicados aos EPIs na Conforto, parte II

15/07/2020

O processo de fabricação de um Equipamento de Proteção Individual (EPI) é bastante complexo. Para desenvolver nossos calçados e luvas, temos uma produção cuidadosa, realizada nos mínimos detalhes, pois estamos tratando da vida de profissionais que, por vezes, arriscam-se para desempenhar suas atividades. Todos os nossos processos produtivos são realizados internamente, sendo que os testes relativos à Certificação de Aprovação e emissão de laudos que autorizam a comercialização desse tipo de EPI são realizados em laboratório terceirizados certificados pelo INMETRO. Esses testes servem para atestar a qualidade e resistência do material desenvolvido para que o mesmo possa ser colocado no mercado. Porém, para controlar as propriedades e particularidades dos produtos e manter seu padrão de qualidade, é necessário que estes testes sejam repetidos constantemente com análises criteriosas. Para isso, a Conforto conta com um laboratório próprio, onde reproduz constantemente os testes críticos de controle de qualidade. Um dos exames é o de fixação do tingimento do couro pelo carnal, seguindo a norma ABNT NBR ISO 105 E05. Um teste que permite verificar se um determinado couro, durante seu uso, vai pigmentar o tecido com o qual está em contato (manchar a meia, por exemplo). Este teste é feito da seguinte forma: separa-se um corpo de prova do couro que será utilizado no calçado e coloca-se em abrasão com tecido em um equipamento próprio para este teste. Após 100 cliclos de fricção à seco, verifica-se se houve manchamento: compara-se o tecido utilizado com uma escala de cinza e o resultado deve ficar entre 3 a 5. Estando aprovado, segue o teste à úmido, onde é aplicada no tecido uma solução de "suor artificial alcalino" e retorna para abrasão com o couro por mais 50 ciclos. Ao final, para ser aprovado, a cor do tecido deve estar entre 3 e 5 na escala de cinza, o que significa que não houve migração de pigmento do couro para o tecido, estando apto para uso. Os ensaios devem atingir certas obrigatoriedades que comprovem a segurança e bem-estar dos profissionais. Estes EPIs devem atender a uma série de requisitos para poderem ser comercializados, conforme legislações nacionais, internacionais, regras da atividade de cada atuação (elétrica, indústria, afins), incluindo o conforto que os equipamentos precisam entregar aos trabalhadores. Nosso maior objetivo é proporcionar o bem-estar e por isso estamos em busca constante por um alto padrão de qualidade nos produtos que desenvolvemos, garantindo a produtividade e tranquilidade dos profissionais.

Veja Também

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
FALE CONOSCO

Estamos à disposição para responder dúvidas, críticas e sugestões. Entre em contato com a nossa equipe através do espaço abaixo.

CLIQUE AQUI